Single Blog Title

This is a single blog caption
13 jul

Floripa além das praias!

Floripa além das praias!!

Que essa ilha é mágica, com 42 praias catalogadas pelo Google, ( muito mais por mim, me pergunta que te falo são quase 100!!!!!), lagoas, cachoeiras, uma baita vida noturna, enfim tem atrações para todos os gostos!!

Mas hoje vamos falar um pouquinho de floripa além das praias…vamos falar de cultura e história da Ilha de Santa Catarina a nossa querida Floripa!!

Os primeiros habitantes da ilha foram os tupis-guaranis.Praticavam agricultura, mas a pesca e a coleta de moluscos eram as principais atividades básicas de subsistência. Há Sambaquis e Sítios Arqueológicos com registros mais antigos que 4.800 A.C. ( Uau!!!)

A partir de 1737, quando começam as construções das fortalezas, necessárias para defender o território dos espanhóis, começa a chegar a “população” na ilha, ainda chamada de Vila de Nossa Senhora dos Desterros ou Desterro.

O Mercado Público

Com a vinda de DOM PEDRO II, em 1845, começou a obra que teve como primeira “conclusão” em 1851.O Mercado não tinha espaço suficiente para os colonos venderem suas colheitas e os pescadores seus peixes, então em 1891 o outro “galpão” foi inaugurado, sendo o “Galpão do Peixe”.

No dia 19 de agosto de 2005, Florianópolis viveu um episódio dramático para sua história, um mega incêndio se alastrou por toda ala norte do mercado, que ficou totalmente destruído e teve que ser totalmente reconstruído, tendo sua última grande reforma finalizada em 05 de agosto de 2015.

Vale muito a pena conferir e conhecer esse lugar cheio de história e com as mais variadas opções de frutos do mar, produtos coloniais e vários barzinhos!

O Mercado Público funciona das 7h às 19h em dias úteis , 7h às 14hs aos sábados; já os barzinhos até as 22h nos dias úteis e até as 17h em fins de semana e feriados.

 

A Casa da Alfândega.

A “geografia” da ilha mudou bastante…

Até a década de 70 o prédio da Alfândega era à beira-mar ( o mercado público também)quando o aterro foi concluído tudo mudou….

O prédio construído em estilo Neoclássico, localizado onde hoje é o centro histórico de Floripa, foi inaugurado em 29 de julho de 1876, “coincidência” com aniversário da Princesa Isabel, a inauguração não significou que realmente começou a operar, pois, o prédio precisava passar por vistorias, e em fevereiro de 1877 começou sua operação que durou por mais de 90 anos, encerrando em 1964, em decorrência da decadência e fechamento do porto de Florianópolis.

Desde 1988 A Casa da Alfândega abriga o projeto: Galeria do Artesanato.São aproximadamente 120 artesãos de várias regiões do estado.

A história, a cultura de um povo são mostradas e demonstradas nas pinturas, bordados, na arquitetura, na arte folclórica.

A Casa da Alfândega é um centro de referência cultural, vale muito a pena conhecer!

 

 

Praça XV e Figueira

A frondosa “Figueira da Praça XV” é sem dúvidas uma das principais atrações da Ilha, mas vocês sabiam que ela não “nasceu” exatamente ali?!A história conta que ela foi transportada em um carretão baixo puxado por duas juntas de bois, “a nova inquilina do jardim”ainda em construção, foi encaminhada pelo portão que dá frente para o sobrado da antiga Estação Telegráphica (atual sede central dos Correios). De acordo com o escritor Paschoal Apóstolo Pitsica, Presidente da Academia Catarinense de Letras, junto com a terra também deve ter ido um pouco dos ossos dos que repousavam no primitivo cemitério de mais de 200 anos, que havia no centro da Praça XV. Dentre as tradições folclóricas que rondam a árvore, está a dos visitantes que, ao conhecê-la, devem dar três voltas ao seu redor de mãos dadas, em sentido anti-horário, para trazer sorte. Os velhinhos que descansam à sua sombra gostam de observar quando homens e mulheres dão as mesmas voltas, acreditando que conseguirão casar. Outra história interessante relacionada com a figueira é contada a respeito do Presidente da Província, Lacerda Coutinho. A figueira nasceu entre o Palácio Cruz e Sousa, residência oficial dos governadores e a casa (atual prédio do BESC), onde morava uma moça, namorada do Presidente. Os galhos da árvore atrapalhavam o “flerte” entre os dois, então ele resolveu transladar a Figueira para o centro da praça XV.

 

 

 

 

 

 

A Catedral Metropolitana e o Museu Cruz e Souza.

A Praça da Matriz de Nossa Senhora do Desterro, sempre foi o centro, hoje chamado de centro histórico de Florianópolis.Tudo girava em torno da praça, foi onde a cidade “nasceu”, a primeira igreja da ilha o maior contribuidor para tal obra foi Francisco Dias Velho Monteiro, fundador da Póvoa de Nossa Senhora do Desterro, em 1673,ficando concluída 25 anos mais tarde,em seu interior abriga desde maio de 1902 a escultura “Fuga para o Egito”, do artista tirolês Demetz Groeden, que apresenta em dois blocos de cedro a fuga da Sagrada Família em tamanho natural.A obra é entalhada à mão em peça única. 

Foram diversas reformas. Antes do processo de restauração iniciado em 2005, a maior delas havia sido feita em 1922,durante a terceira etapa das obras de restauração, os trabalhadores encontraram ossadas humanas sob o assoalho da Catedral.A descoberta levou a um estudo arqueológico, com aval da superintendência catarinense do Iphan ( Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), que atribui as ossadas a integrantes da Irmandade Católica da Terceira Ordem, que tinham por hábito realizar os enterros dentro ou entorno das igrejas.Registros históricos também afirmam que há corpos de dois ex-governadores da província enterrados nas paredes da Catedral, que foi verificado pela equipe de arqueólogos, que mantiveram as escavações em total sigilo.  A Catedral Metropolitana é patrimônio histórico municipal e estadual.

Museu Cruz e Souza, o palácio rosado.

O museu é um exemplo da arquitetura eclética do século XIX, uma mistura de estilos, que vai do barroco ao neoclássico. É composto com um acervo de móveis aos objetos da época; o interior do prédio reproduz a rotina dos que viveram ali, e que fizeram parte da agitada história política do estado.

Em 1979, durante uma visita do então presidente militar João Figueiredo, ocasionou no episódio conhecido como “NOVEMBRADA”, que foi a primeira grande manifestação popular contra a ditadura no país.

Visitação: Terça à Sexta das 10h as 19h / Sábado e Domingo das 10h as 16h

Valor: R$ 5,00 (Grupo Escolar fica isento de pagamento)

Localização: Praça XV de Novembro, 227 – Centro

Contato: (48) 3028-8091

 Floripa tem muito além de praias!Venham conhecer nossa cultura, garantimos que irão se encantar!!

#Floripa #arte #cultura #folclore #arquitetura #história

Fonte: Prefeitura Municipal de Florianópolis http://www.pmf.sc.gov.br/entidades/turismo/index.php?cms=historia&menu=5&submenuid=571

Leave a Reply

Idiomas »